domingo, 24 de janeiro de 2010

Cronos

O tempo que nos toma é ingrato. Ele, que nos agarra pelo braço com pegada firme, repete num mesmo ciclo que devemos nos ater aos compromissos. Para este, o antigo e presente tempo, todas as coisas urgem. É uma força contra a qual nada podemos fazer.

Reagir é verdadeiramente ineficaz. Nossa única opção é - mesmo engolindo o sapo muito à contragosto - aceitar sua triunfante passagem diante de nossas vistas finitas.

Vivemos em uma rotina na qual não o notamos passar. Todos são aperentemente despreocupados, porém, em nenhuma outra época nos cobrou tão caro: Tempo para concluir, para trabalhar, para redigir textos, para nos exigir.

O tragicômico disso tudo é que ele está bem aqui, rindo de nossos rostos ingênuos, implantando preocupações rotineiras. Nem sequer o vemos circulando por aí.
O tempo passa rápido demais.

6 comentários:

Paulinha disse...

Oi meu querido, cada dia que leio os seus textos, eu sinto mais vontade de ler outros textos seus.

Você me disse muitas vezes, em meu Blog, que você se identifica com minhas escritas, confesso para você, que então temos algo em comum, porque eu também percebi que me identifico muito com o que você escreve..rsrsr....acho que são os signos...kkkkkkkkkkkk...

Mas comentando o texto agora, realmente como eu já havia dito para você, vivemos em um mundo onde as pessoas têm pressa, onde o relógio não pára (exceto quando a bateria acaba..rs..). Mas porque as pessoas têm pressa?! fico me perguntando... pressa para chegarem em tempo ao emprego?! ..pressa para não deixarem os filhos chegarem atrasados na escola?!...É nessa rotina, do cotidiano apressado, que a vida vai passando...e quando paramos para olharmos no espelho, percebemos o quanto envelhecemos e nada aproveitamos.
Os "grisalhos" aparecem como marca de uma velhice....e querendo ou não, eles vão surgir um dia, mas temos que "aproveitar" o máximo os detalhes que a vida tem nos oferecido e tem a nos oferecer, porque, somente assim, quando os "grisalhos" aparecem, pelo menos você poderá dizer: "Apreiveitei o máximo que pude!..."Mas "ainda posso aproveitar, enquanto vida me restar!" ....

E como disse Paulo Geraldo: "O verdadeiro rosto de um homem apressado - que não tem tempo para estar com os outros, para os ouvir, para os ajudar - é quase sempre o de alguém que passa, em alguma zona da sua vida, demasiado tempo a fazer coisas inúteis ou despropositadas".

Concordo com ele:
A vida é inútil, se não tem tempo para vivê-la...

Beijos no seu coração...adoro muito você!!

Basta me convidar, que venho correndo...kkkkkkk

Patricia Mendonça disse...

E passa.....muito rapido!

@thatily disse...

O tempo que passa... Se não nos atentarmos, perdemos os momentos, escondidos nas frações do segundo... O tempo ue muitas vezes passa por nós desabercebidos, pois na maioria d tempo estamos inertes a coisas que parecem nos fazer parar no tempo, mas isso é só impressão...

O tempo é a cura, mas o tempo que tbm sufoca...

O tempo que construimos, o tempo que destruimos...

Enfim, é isso...

Abçs amigoo

[ rod ] ® disse...

O tempo é sagaz e, irremediavelmente, cruel. Dele se vive e por ele, meu caro, muitas vezes se morre. Abs!

Lidi disse...

O tempo... ai, o tempo... queremos ele, lutamos contra ele... complicamos as coisas por e através dele... e sim, ele passa muito rápido! Adorei o texto!

Aline Aguiar disse...

Por isto temos q aprender a valorizar cada instante .... Dar tempo ao tempo ñ se faz necessário, qndo priorizamos o agora!
Adorei o texto!

Beijos