sexta-feira, 9 de abril de 2010

MEUS BONS AMIGOS

Pessoas, indivíduos, cidadãos, amigos, companheiros, cúmplices, parceiros e assim por diante. Indiferentemente aos adjetivos que possam ser empregados, o espírito da coisa permanece imutável.

O que se há de colocar são os inúmeros papéis que cada um, ao passar por nossas vidas, tem desempenhado... Quebra-cabeças vivo, montado vagarosamente. Cada um, em particular, tem uma atuação a ser desdobrada. Pequenas e grandes heranças constituem o legado dessa gente.

Trata-se de um processo recíproco, visto que,  para cada pessoa que conhecemos, acabamos por trazer uma parte dela conosco e, como não poderia deixar de ser, um pouquinho da gente vai com ela. Seja lá quem for o passante desavisado.

Neste íntere entre um texto e outro fiquei a matutar a respeito do que escrever e, seja por sorte ou por qualquer outra variável, sempre me ocorre um fato que porporciona a evidência de determinado tópico. O bacana de tudo isso é que flui naturalmente, sem forçar a barra, sem premeditações.

Aqui, nesta ocasião em particular, tive mais de um viés para direcionar as palavras: A rotina de muito estudo e o isolamento decorrente desta.

Refleti à cerca da importância de cada um em nossas vidas. Quer seja daquele que compartilha nossos dramas e alegrias cotidianos, seja daquele ao qual não se vê há tempos. Ponderei justamente naqueles momentos em que a solidão bate, fazendo estrago. Entrando sem pedir licença.

Posso com alegria afirmar que a minha solidão é tal qual o vampiro: Apenas entra em casa se for convidada. Basta um clique ou um telefonema para me desafogar de tão angustiante correnteza. Amigos, onde estão? Graças a Deus, próximos.

Amigos são a extensão da família, parentes que o coração seleciona. São linhas que se cruzam sem que saibamos ao certo a verdadeira razão. O fato é que sempre existe uma.
Passei por situações inusitadas ao longo da vida e justamente nestas intempéries conheci pessoas que não esqueço jamais e com as quais ergui um pilar firme de compreensão e cumplicidade. É como se a cada maré revolta eu possuísse uma chave que destrancasse as portas para novas vivências.

O que me surpreende em muitas das vezes é aquele amigo de infância que me localiza vinte anos depois, perguntando-me se ainda lembro dele. Uma parte de mim viveu ali por todo este tempo. Fato que me deixa muito feliz. Nunca me esqueço de um amigo, ou seja, parte dele andou por aqui da mesma forma.

Quem não tem amigos, não tem nada nessa vida. Eles nos proporcionam a sensação de viver e não meramente passar por ela sem experimentar o que há de mais colorido.


A todos, minha gratidão.


"Talvez chegue um dia em que abandonaremos nossas famílias e trairemos a amizade. Mas não será hoje este dia. Hoje nós lutaremos".


Aragorn (O senhor dos anéis - O Retorno do Rei)

6 comentários:

Bibi disse...

Oieee PARABENS!!!
VC é o blog sao lindos!!!
Bjux
@_BiiBi_

sarah disse...

Olha só quem resolveu postar por aqui ...

pessoas são os que nos motivam a continuar,
somos dependentes delas sempre !

beijos carioca .

Paty disse...

Teus textos são muito interessantes.
Abraço

Paulinha disse...

Oi querido!!

Que texto maravilhosooooooo!!

Demorou para postar, mas vejo que surpresa boa você fez com este lindo artigo!!

Amigos..amigos....sejam eles distantes ..ou vizinhos.. sempre tem algo para nos ensinar...

Cada qual é distinto, e ninguém substitui ninguém.....

Seja amigo virtual, amigo real...cada um passa pela nossa vida com algum propósito, ao qual não sabemos....mas creio que não é por acaso que conhecemos determinadas pessoas, sendo que no mundo há tantasssssssssss pessoas e acabamos por conhecer apenas "determinadas" pessoas..

Mas realmente a solidão adora invadir o íntimo da nossa alma, mas ela não ficará mais que dois segundos nos incomodando, se nos ousarmos sempre a fazer um convite...ou se sairmos com um grupo de amigos para curtir algumas horas de boas risadas...

Beijos pessoa lindaaaa...um amigo que tanto aprendi amar...

Cláudia Costa disse...

Que surpresa boa!
Depois de visitar teu blog, ler o que escreve...como escreve...euzinha, tão amante das palavras, tão sentimentalista e pensadora, fiquei deslumbrada...grata!

Já nem me interessa qual rótulo terá o encontro, mas ler sua forma de pensar me instigou querer saber mais, ver mais, ler mais...

Como bom virginiano, palavras e sentimentos organizados, a tal da concretude abstrata q tanto admiro. Difícil querer deixar pra lá.

Você definitivamente é dessas pessoas que cruzam a esquina da vida da gente e, se tiverem oportunidade mínima, deixam um gosto forte de quero mais.

Agora, mais que antes, estou feliz por ter te encontrado.

Lindo vc, lindo o blog, lindas palavras...grandes pensamentos.

Obrigada por partilhar de você com tanta gente e me incluir nesse mundo.

Bjks carinhosas.

@DriPaulo disse...

Adorei o texto!!

Bjo!!