domingo, 18 de maio de 2008

Saindo de Chateau d' If...



Há quem diga que Deus escreve certo por linhas tortas. Afirma-se também que alguns caminhos se estreitam e até mesmo se fecham com o intuito de nos mostrar algum outro que se abre adiante.

Verdadeiramente passei pela vida sem atentar a estes sinais, ao menos até o contexto atual. A existência tem conspirado. Mas não posso afirmar que seja uma conspiração adversa. Na verdade, a clareza com que as peças do jogo se movem me faz ver que é hora de revoar. Retornar ao ponto de partida sem necessariamente retomar o ponto zero. O que fiz foi uma inversão: saí do ponto crescente indo para o ponto inerte.

Aprendi muito durante a minha estada aqui em Minas Gerais. Aprendi que não se deve idealizar em demasia, aprendi que devemos dedicar nossas lágrimas apenas aos que são merecedores delas, aprendi que crescer é preciso, aprendi que ficar longe da família é um péssimo negócio, e sobretudo aprendi que o homem não é nada quando renega a sua raiz.

Estive fora do circuito carioca por razoável período de tempo. Nesta ausência que durou alguns meses pude sofrer o impacto: dia desses, num bate e volta MG - RJ, senti a estagnação de idéias e pensamentos inerente a esta região na qual temporariamente me encontro. Graças a este percurso de feriado me veio com clareza o quanto é prejudicial estar longe dos pensamentos que borbulham, de pessoas que verdadeiramente tem algo a dizer (aqui há raríssimas exceções), daquela "metamorfose ambulante". Do lado de cá o que tenho é "sempre aquela velha opinião formada sobre tudo".

Por mais que pareça um contra-senso, foi aqui no Estado de Minas Gerais que me reconheci carioca como nunca. Algumas considerações que despejo aqui podem soar pejorativas. Mas não são.

A grande verdade é que em nível de Brasil, nenhum lugar se compara ao Rio de Janeiro.

Um comentário:

raimbowshine disse...

Nossa! Pra vc estar dizendo isso... quem te viu quem te vê... Enfim... o destino te impulssionou ao melhor... ao reconhecimento de tudo o que antes vc ignorava... Agora a sorte está nas suas mãos...